top of page
  • Foto do escritorAline Silva | PhishX

Por que é essencial identificar comportamentos digitais de risco?

Vivemos em um mundo cada vez mais digitalizado. Todos os processos que antes eram feitos manualmente hoje podem ser acessados de computadores ou celulares em qualquer lugar do mundo. 

 

Com esse comportamento, a quantidade de dados gerados aumenta e impõe desafios constantes às organizações, principalmente quando falamos em análise de riscos. 


Por isso, a avaliação de risco é uma aliada das organizações para manter seus dados seguros e identificar comportamentos digitais de risco. 

 

Essa avaliação auxilia na identificação de possíveis incidentes, roubo de dados sensíveis, espionagem industrial e outros crimes cibernéticos. 

 

Como sua organização lida com dados e com o comportamento digital das pessoas? Quer saber como identificar esses possíveis riscos? Continue lendo este texto e saiba mais. 

 

O que é comportamento digital? 

 

Antes de tudo, é importante entender o que é um comportamento digital e como ele pode ser um risco para as organizações. 

 

Quando falamos de comportamento digital, associamos a como uma pessoa age na internet, e isso realmente é verdade, mas não é apenas essa questão.


 

Afinal, passamos o dia conectados, seja em nossos trabalhos ou em nossas vidas pessoais.


Com isso, não nos desligamos um só momento da tecnologia e respondemos e-mails de trabalhos em nossa hora de lazer ou assuntos pessoais no ambiente de trabalho. 

 

É justamente nesse aspecto que se encontram os riscos. Essa vida extremamente conectada coloca em risco a nossa privacidade e a segurança das nossas informações. 

 

Qualquer deslize, como um e-mail perigoso ou a instalação de um software malicioso, pode abrir brechas de segurança e colocar em risco nossos dados. 

 

Como estamos conectados em diversos dispositivos pessoais e no ambiente de trabalho, essa vulnerabilidade pode ter sérias consequências para as empresas. 

 

Por isso, é fundamental que as organizações identifiquem esses riscos e as pessoas saibam lidar com essas ameaças. 

 

Como é a análise de comportamentos de risco? 


Como vimos, o comportamento digital coloca em risco a segurança das empresas. Por isso, a análise de comportamento das pessoas é tão importante, ele é responsável por: 

 

  • Monitorar; 

  • Coletar; 

  • Verificar; 

  • Validar. 

 

 

Todas as atividades das pessoas que trabalham em uma organização são afetadas. Como os desafios são muitos devido ao comportamento digital da nossa sociedade, é preciso analisar os dados para que seja possível combater e prevenir fraudes. 

 

Essa análise mapeia as ameaças que podem comprometer a segurança de uma organização e entende os padrões de comportamento das pessoas, sistemas e dispositivos em uma rede de computadores. 

 

Para isso, é importante medir os riscos, além de implementar simulações de ataques. Dessa forma, as organizações conseguem medir a maturidade das pessoas e identificar padrões de comportamentos. 

 

Assim, é possível detectar atividades suspeitas ou potencialmente perigosas que possam indicar uma ameaça de segurança. 

 

A análise de riscos não diz respeito apenas à prevenção de ataques, ela atua para estabelecer respostas ágeis e eficientes à altura dos incidentes caso eles aconteçam. 

 

Portanto, com os resultados em mãos, as equipes de Tecnologia da Informação são capazes de criar ações para mitigar os riscos encontrados. 

 

 

As pessoas e seus comportamentos de risco 

 

As pessoas tendem a ter comportamentos de risco, em relação à cibersegurança por diversos motivos. Algumas delas não possuem informações sobre as práticas de segurança.  

 

E por não ter esse contato direto com os temas, desconhecem a importância de um comportamento preventivo.  

 

Além disso, existem aquelas que batalham contra o tema, acreditando que os ataques cibernéticos visam outros fins, e, na maioria das vezes, reproduzem comportamentos de risco. 

 

Essas pessoas costumam não realizar treinamentos e consideram as políticas de segurança como obrigações impostas pela organização.  

 

Outro comportamento bem comum são as pessoas que acabaram de entrar na organização e ainda estão tendo contato com a cultura organizacional. Elas reproduzem ações perigosas por não saberem se proteger. 

 

Mas, além disso, as organizações tendem a lidar com os céticos, que são aqueles que pouco se importam com a segurança digital e não contribuem para o estabelecimento de uma cultura de proteção digital.  

 

Com isso, tratam a cibersegurança como um tema qualquer dentro da organização e não como algo fundamental que impacta diretamente o seu cotidiano.  

 

Quando deve ser feita a análise de comportamentos?

 

Como vimos, existem diversos perfis de riscos nas organizações, por isso a análise deve ser feita de forma contínua. 


Afinal, as ameaças estão presentes na vida de todas as pessoas, dessa forma é importante reconhecê-las para que sejam criados mecanismos de defesa. 

 

As instituições precisam se atentar à importância de incorporar esse tipo de monitoramento em todo o seu planejamento estratégico e reforçar ações voltadas à cibersegurança. 

 

Essa análise é importantíssima para nortear decisões voltadas para políticas de segurança. Afinal, com o cruzamento de dados é possível analisar, identificar e mitigar as ações de risco. 

 

As pessoas precisam de um acompanhamento adequado, demonstrando aplicações reais e cotidianas das formas utilizadas pelos cibercriminosos para realizar ataques cibernéticos. 

 

Dessa maneira, é preciso demonstrar a importância da cibersegurança, trazendo para a realidade das pessoas os temas relacionados à proteção digital. 

 

Quais etapas da análise de comportamentos de risco? 

 

Para realizar a análise de comportamento de riscos é necessário realizar algumas etapas, veja a seguir quais são elas. 


Identificação de riscos

 

A primeira etapa deve ser feita para reconhecer o nível de segurança da empresa e pensar em situações que possam surgir e se tornar um risco para a segurança das informações. 

 

Essa etapa precisa levar em consideração desde situações mais graves e específicas, como um ataque de AiTM, até processos mais rotineiros, como o comportamento das pessoas e como elas lidam com a segurança da informação. 

 

É preciso que as equipes identifiquem toda e qualquer ameaça. Essa é uma das etapas mais importantes de todo o processo. 

  

Análise de riscos 


Feita a identificação de todos os riscos que podem cercar a organização, é o momento de mensurar o impacto que eles podem causar e calcular quais serão os esforços necessários e as medidas que devem ser tomadas para mitigar essas ameaças. 

 

Nessa etapa, é importante que os riscos sejam analisados do maior para o menor. Isso porque, durante as ações de combate, podem surgir novas ameaças e colocar em risco as operações. 

 

Dessa forma, identificá-los de maneira precoce é importante para que as ações sejam mais eficazes e as equipes saibam quais riscos esperam. 


Avaliação e estratégias 


Nessa etapa, é o momento de definir estratégias para contra-atacar as ameaças. Por exemplo, se foi identificado que as pessoas são mais suscetíveis a cair em golpes de phishing, é o momento de reforçar treinamentos em torno desse tema. 

 

Mas se as pessoas estão com dificuldades em criar senhas complexas e gerenciá-las, talvez seja o momento de enviar comunicados informando a importância que as senhas exercem na segurança dos dados. 


Monitoramento dos riscos 


Feito toda análise e identificação dos riscos é o momento de monitorar e avaliar essas ameaças. Nessa etapa é importante que tudo seja listado e seja identificado quais medidas foram tomadas e se elas exerceram resultados positivos ou negativos. 

 

Essa etapa deve ser feita de forma contínua em todo o processo de avaliação. Pois são essas informações que vão nortear as ações voltadas para a cibersegurança. 


A PhishX na identificação de comportamentos digitais de risco

 

Como vimos, a análise de comportamentos digitais de risco é importante para as organizações, é por meio dessa avaliação que é possível identificar e mitigar as ameaças cibernéticas. 

 

Além disso, todo esse processo é feito em etapas, e a parte primordial é justamente identificar todos os riscos. A PhishX é um ecossistema completo que auxilia as organizações em todo processo. 

 

Isso porque, por meio da nossa plataforma, é possível disparar simulações de ataques e extrair resultados em tempo real. Com isso, as organizações conseguem medir os riscos existentes em suas equipes. 

 

Nesses relatórios, é possível identificar quantas pessoas caíram nas simulações e quais delas realizaram os treinamentos.


Além disso, é possível realizar a análise de vulnerabilidade dos dispositivos e saber os riscos que eles representam para a organização. 

 

Todas essas informações são disponibilizadas em gráficos que permitem uma melhor observação de todos os dados. 

 

Além disso, nosso ecossistema conta com treinamentos, cartilhas, vídeos e disparos de comunicados. Dessa forma, ao avaliar os dados, ainda é possível criar ações de cibersegurança para resolver os problemas e conscientizar as pessoas em único lugar. 

 

A PhishX é uma plataforma completa que auxilia as empresas a identificarem os riscos e criar ações para combater e mitigar as ameaças. 

 

Quer saber mais? Entre em contato com o nosso time, agende uma demonstração e identifique os possíveis riscos para o seu negócio. Avaliar o comportamento das pessoas é essencial para a cibersegurança de uma organização. 



Homem branco falando ao telefone com cara de surpreso, ele está sentado em uma cadeira em uma mesa de escritório
Os comportamentos das pessoas podem ser um risco para a organização.

12 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page