top of page
  • Foto do escritorRafael Iamonti

Embaixadores da segurança: como criar uma cultura que protege sua organização


O relacionamento de uma organização com as pessoas pode acontecer de diversas maneiras. Mas como um programa de embaixadores pode ser um dos melhores canais para que as pessoas se engajem com as estratégias de segurança da informação?


Quando falamos dos assuntos relacionados à segurança da informação, normalmente esse tipo de relacionamento ocorre através de treinamentos, simulações, políticas e comunicados.


Porém, criar uma cultura de segurança pode ser essencial para tornar uma estratégia de conscientização mais eficiente. Assim, um programa de embaixadores pode te ajudar nesse sentido.


Entretanto, muitas organizações têm dificuldades para fazer com que as pessoas se identifiquem com os temas sobre segurança digital. Isso pode fazer com que os treinamentos tenham pouca adesão, o que pode tornar sua organização mais vulnerável.


Fazer com que todos participem das atividades relacionadas à segurança da informação não é uma tarefa fácil.


Aqui, vamos observar como um programa de embaixadores pode ajudar a sua organização a criar uma cultura de segurança.


Como um programa de embaixadores pode ajudar sua organização a criar uma cultura de segurança


Vamos imaginar um setor operacional, que possui pouco acesso à internet e atua distante da matriz. Essas pessoas podem se sentir pouco reconhecidas dentro dos programas de treinamento, muitas vezes eles podem não estar adequados à realidade do grupo. E é aí que um programa de embaixadores pode ajudar a dar voz para essas pessoas.


Ao falar de um programa de embaixadores, estamos falando de pessoas que colaboram para um objetivo comum. Nesse caso, disseminar os temas relacionados à segurança da informação.


Isso quer dizer que sua organização vai precisar recrutar pessoas que representam sua cultura para ajudar outras pessoas a adotarem práticas mais seguras.


O principal papel desses embaixadores é ser um multiplicador da cultura organizacional, trazendo a temática da segurança digital para o dia a dia das pessoas, de acordo com as peculiaridades dos setores.


Quem pode ser um embaixador da segurança?


As pessoas que podem atuar como embaixadores são aquelas que possuem identificação com o propósito da organização, disseminando os valores da instituição e influenciando os demais. Assim, eles podem identificar problemas e propor melhorias, participando de decisões.


Esse grupo pode ter como o objetivo não apenas representar uma ponte entre a organização e as pessoas. Mas também dar voz para que os participantes questionem e representem as particularidades de cada setor.


Empodere as pessoas através de um programa de embaixadores da segurança da informação



Programas de embaixadores podem potencializar a participação das pessoas, promovendo culturas mais igualitárias e colaborativas. Dessa forma, é possível envolver pessoas de diferentes setores, cargos, perfis e personalidades, para que representem grande parte da cultura da organização.


Esse tipo de participação pode tornar as pessoas mais empoderadas, integrando equipes através da colaboração.


Grande parte dos ataques cibernéticos começam por vulnerabilidades causadas por pessoas. A maioria desses riscos remete a uma ação que poderia ser evitada, como clicar em um link desconhecido.

Ao capacitar as pessoas e nomear embaixadores da segurança da informação, você pode fazer com que elas se sintam mais responsáveis pela proteção da organização. Assim, elas são capazes de envolver seus colegas cada vez mais.

Planeje o seu programa de embaixadores


Planejar cada ação e objetivo desse tipo de programa é essencial para que tenha sucesso. Além de produzir e divulgar conteúdos claros e interessantes, você pode compartilhar materiais específicos para embaixadores. Isso vai ajudar essas pessoas a disseminar cada vez mais conhecimentos.

Antes de começar você precisa questionar a finalidade do seu programa. Defina quais serão os objetivos que serão alcançados a curto, médio e longo prazo e qual será seu público.

Em seguida, defina quem serão as pessoas que poderão te apoiar, como o programa pode ser testado e as formas para metrificar os objetivos. Dessa forma, você pode criar uma estrutura e apoio para as pessoas que participarão do programa de embaixadores.

Faça um guia


Você pode definir políticas claras sobre o seu programa, criando conteúdos para demonstrar como ele vai funcionar, como as pessoas podem participar e quais serão os canais de comunicação. Consolidar tudo em um único documento pode funcionar como um guia para novos embaixadores.

Defina atividades


Também é essencial definir quais atividades serão desenvolvidas pelos embaixadores. Lembre-se que eles precisam ter as habilidades necessárias, e se sentir confortáveis nas atividades que realizarão. Por isso, o ideal é desenvolver quais serão os pilares. Eles precisam estar alinhados às necessidades da organização.

Respeite sempre as vontades de cada participante. Nem todo embaixador gosta de fazer tudo. Portanto, defina diferentes atividades que podem ser trabalhadas por cada um. Assim, os embaixadores possuem opções e recursos para disseminar aquilo que considerarem necessário.

Promova a integração entre áreas


Programas de embaixadores podem auxiliar as pessoas a ampliarem a perspectiva da organização sobre determinados temas. Assim, pode promover mais integração entre as áreas, principalmente quando nos referimos à segurança da informação.

Além disso, esse tipo de programa pode aumentar o senso de pertencimento dos participantes, promovendo ao grupo de embaixadores uma visão mais ampla da organização.

Todas as pessoas que fazem parte de uma organização vivem uma série de experiências dentro dela. Por conta disso, eles podem contribuir com diferentes olhares sobre os processos.

Ouvir essas pessoas, e contar com o apoio delas, pode ser muito valioso para estabelecer uma cultura de segurança digital.

É comum que as organizações tenham dificuldades para integrar diferentes setores. Mas é possível reverter essa situação através de um programa de embaixadores.

Esse tipo de programa permite que as pessoas conheçam e vivenciem questões de outras áreas. Dessa forma, os colegas podem ser influenciados a agir de outra forma, aplicando aquilo que aprenderam.

Assim, as pessoas precisam participar da construção das atividades e estar presentes em suas comunicações. Incluir depoimentos, ações, fotos e vídeos pode fazer com que elas se sintam parte da estratégia de segurança.

Capacite e engaje as pessoas


Mesmo escolhendo os melhores representantes, eles vão precisar estar na mesma página. Para isso, é muito importante fornecer recursos e acompanhamento contínuo. Dessa forma, as pessoas que atuam como embaixadores da segurança da informação podem contribuir ainda mais com o programa.


Essas pessoas não podem ser as últimas pessoas a saber de algo. Assim, é fundamental elaborar um canal de comunicação aberto, onde elas possam receber informações e conteúdos relevantes que podem ser compartilhados com outras pessoas.


Ao compartilhar conteúdos relacionados aos temas da segurança digital, esses embaixadores demonstram a importância que esses assuntos possuem dentro do cotidiano. Isso pode fazer com que as pessoas visualizem os riscos que estão submetidas dentro do mundo digital.


Crie uma biblioteca de conteúdos


Para que as pessoas que fazem parte desse tipo de programa se sintam apoiadas, é importante desenvolver uma biblioteca digital. Dessa forma, elas podem acessar e relembrar treinamentos, compartilhar conteúdos relevantes e observar o que pode ser desenvolvido.


Também é importante oferecer capacitações, fazendo com que as pessoas estejam preparadas e se sintam confortáveis em se comunicar com outros setores.


Reconheça as vitórias


É fundamental que as pessoas se sintam reconhecidas pelos seus esforços. Criar comunicados sobre a atuação dos programas de embaixadores, utilizar os canais internos para valorizar os setores que mais reconheceram ameaças, premiar as pessoas que não caíram em nenhuma simulação no ano.


Essas ações são essenciais para que as equipes sintam que fazem parte do programa de segurança da sua organização.


Por esse motivo, é muito importante que as pessoas saibam o que está sendo desenvolvido. Como o programa é estruturado e como as pessoas podem fazer parte dessas ações. Isso gera engajamento e faz com que todos se sintam parte da estratégia.


Dessa forma, você pode desenvolver programas de premiação para as equipes que se saírem melhor em treinamentos e simulações. Outra opção é que os embaixadores tenham um orçamento próprio para esse tipo de premiação, presenteando as pessoas que mais completaram os treinamentos. Esse tipo de ação faz com que as pessoas se sintam reconhecidas pelos seus esforços.


Acompanhe os resultados


Não é fácil criar um programa de embaixadores, mas ele pode trazer muitos benefícios. Como o engajamento das pessoas, que pode surpreender. Quando elas passam a ser reconhecidas e valorizadas por agir com mais segurança, elas podem ajudar a criar uma estratégia ainda mais eficiente.


Dessa maneira, o papel do embaixador vai além de alguém que compartilha comunicados internos. É preciso que essa pessoa envolva outras equipes, reconheça deficiências no programa, traga questionamentos de outros setores. Dessa forma, é possível criar programas mais inclusivos e que representam cada vez mais vozes dentro da organização.


Estabeleça métricas


Para que seu programa mantenha um aprimoramento constante, você pode acompanhar o desenvolvimento e retorno que ele proporciona. Essas são as chamadas métricas.


Cada programa é diferente, já que eles podem se basear em diferentes objetivos. Porém, você pode analisar como se as pessoas estão respondendo melhor às simulações. Ou se mais pessoas estão concluindo treinamentos.


Tudo isso pode ser acompanhado através da nossa plataforma, que oferece relatórios e métricas em tempo real para que você possa visualizar os resultados de suas campanhas e projetos.


Foque em pessoas, não apenas em números


O número de ataques cibernéticos contra organizações vem crescendo exponencialmente nos últimos anos. Com isso, a segurança digital se tornou um dos assuntos mais debatidos dentro das organizações e órgãos governamentais. E toda estratégia de segurança da informação precisa passar pela conscientização das pessoas.


Os ataques estão sendo cada vez mais elaborados, fazendo com que usuários comuns sejam enganados para abrir as portas da segurança da sua organização. Existem muitos métodos para que as pessoas estejam mais habituadas com os temas relacionados à segurança da informação.


Treinamentos, simulações, comunicados, assistentes pessoais, tudo isso pode tornar as pessoas capazes de reconhecer ameaças e proteger as organizações.


Um programa de embaixadores pode colaborar para que todos esses métodos sejam ainda mais eficazes, gerando engajamento dentro de diferentes setores e integrando as áreas.


Dessa forma, estruturar um programa de embaixadores pode parecer uma tarefa complicada. Isso vai exigir que as pessoas sejam capacitadas e tenham recursos suficientes para colaborar com o programa.



Priorize a segurança da informação


Mesmo sendo uma questão emergente dentro das organizações, a segurança da informação ainda não é uma das maiores prioridades. Esse fato pode tornar mais difícil a aprovação de projetos e a estruturação de programas, inclusive de conscientização das pessoas.


Por esse motivo, basear a análise desse tipo de programa somente em números pode ser persuasivo para conseguir atenção de uma diretoria, mas não o suficiente.


Assim, o que pode tornar possível enxergar o projeto além dos números é demonstrar como essas ideias podem integrar diferentes áreas, fazendo com que as pessoas se sintam mais valorizadas.


Programas de embaixadores impactam diretamente as pessoas e fazem com que elas se sintam empoderadas. Novas lideranças podem surgir e os participantes podem descobrir até mesmo novas habilidades. São as pessoas que são capazes de mudar os números.


Conte com a nossa ajuda para aplicar um programa de embaixadores dentro da sua organização. Realize treinamentos, simulações e utilize nossa biblioteca de conteúdos para criar uma cultura de cibersegurança.



Na imagem, uma equipe discute estratégias. Uma mulher está em pé, no centro, um homem sentado a esquerda dela e uma mulher sentada a direita. Na parte superior,  está o texto:  "Embaixadores da segurança: como criar uma cultura que protege sua organização"
Embaixadores da segurança: como criar uma cultura que protege sua organização


Posts recentes

Ver tudo

1 komentarz


Vinicius Grochim
Vinicius Grochim
17 lut 2022

Sensacional!


Polub
bottom of page