top of page
  • Foto do escritorAudrey Fontelas

Maior parte das falhas de segurança cibernética nas organizações são causadas por pessoas

O crescimento do número de ataques cibernéticos nos últimos anos fez com que as organizações ficassem em alerta. Conforme relatório divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, 95% das falhas de segurança cibernéticas são causadas por pessoas.


Por conta do crescimento do trabalho remoto, a falta de proteção nos dispositivos eletrônicos e o mau uso dos aparelhos contribuiu para o aumento no número de falhas humanas.


Além disso, a falta de conscientização das pessoas acelerou para que mais erros fossem cometidos.


Os ataques estão cada vez mais sofisticados, perigosos e causando prejuízos maiores dentro e fora das organizações. Dessa maneira, é essencial que o investimento em políticas de segurança e conscientização cresça.


Sendo assim, como encontrar maneiras mais efetivas para engajar as pessoas sobre riscos cibernéticos? Vamos descobrir juntos.


Por que as pessoas estão cometendo falhas de segurança?


Devido a mudança para o trabalho remoto, as fragilidades de segurança das organizações ficaram mais evidentes. Dessa maneira, abriu uma porta de entrada para os cibercriminosos cometerem os ataques.


Sendo assim, podemos observar que, desde a implementação do trabalho remoto, o número de ataques cibernéticos aumentaram.


Entretanto, o trabalho remoto não é o único fator para o aumento no número de falhas. Podemos citar outros fatores, como a falta de interesse e de engajamento em segurança digital por parte das pessoas e de investimento em programas de conscientização.


Além disso, também existem outros problemas, como o mau uso do equipamento de trabalho e a utilização de redes de Wi-Fi públicas.


Dessa forma, as pessoas se tornam alvos fáceis para os cibercriminosos entrarem dentro das organizações. Por isso, conscientizá-las sobre os perigos digitais é essencial.


Prejuízos que as falhas podem causar as organizações


Os prejuízos dentro das organizações podem alcançar diversos níveis, desde a reputação ser afetada até uma grande perda financeira. Dessa maneira, apenas um clique em um link malicioso pode colocar a segurança e os dados de toda organização em risco.


Além disso, as pessoas podem ter seus dados vazados, suas informações, fotos e a sua vida ser exposta. Também, há casos de pessoas perdendo seus empregos por conta da gravidade das falhas que cometeram.


Sendo assim, existem algumas formas que os cibercriminosos conseguem acessar os dados sensíveis ou o sistema operacional da organização. Ataques de phishing, malwares e ransomwares estão entre as principais atuações criminosas.


Os ataques de ransomware são a ameaça mais lucrativa para os criminosos, já que as vítimas pagam os resgates para recuperar os dados. Esse tipo de ameaça é a que mais preocupa as organizações em torno do mundo.


Porém, existem alternativas para que as pessoas diminuam as falhas e não se tornem mais vítimas.


Como reduzir o risco cibernético causado pelas pessoas


Existem algumas maneiras para que falhas não sejam cometidas, como a implementação de uma cultura de segurança nas organizações.


Além disso, pílulas de conhecimento sobre as boas práticas ao utilizar um dispositivo de trabalho, maneiras de se proteger em uma rede de públicas de internet e o descarte seguro dos seus dados.


Por isso, a conscientização dentro e fora das organizações é o principal passo para a segurança dos dados. Dessa maneira, os colaboradores podem ser tratados como um dos pilares fundamentais para a proteção dos dados.


Boas práticas de conscientização


Considerando que a conscientização é o passo mais importante para diminuir as falhas das pessoas, precisamos adotar formas de manter as pessoas atentas para identificar ameaças.


Sendo assim, as pessoas que já passaram pelo processo da conscientização conseguem distinguir os riscos e aprendem como agir nas mais diversas situações.


Dessa maneira, o número de falhas pode diminuir e as organizações estarão ainda mais seguras. Com o tempo, desenvolver um programa de embaixadores da segurança pode ser uma forma de reconhecer aqueles que mais colaboram com a proteção de dados.


Evite falhas de segurança cibernética adotando um programa de conscientização


Como vimos, para evitar as falhas de seguranças é essencial priorizar as pessoas. Dessa forma, podemos trazer o tema de segurança de uma forma leve, utilizando exemplos que as pessoas estejam familiarizadas.


Assim, você pode levar a conscientização através de temas do cotidiano e assuntos que despertem o interesse.


O ecossistema da PhishX ajuda você na implementação do programa de conscientização, assim, você pode medir as chances de um ataque de phishing ser bem-sucedido, diminuindo as falhas e as ameaças cibernéticas.


Quer saber como implementar um programa de conscientização contando com uma biblioteca com mais de mil conteúdos? Fale com nosso time de vendas.



Ao fundo da imagem, vemos uma mão humana e uma robótica digitando em um teclado de computador. Ao centro da imagem, temos o texto: Maior parte das falhas de segurança cibernética nas organizações são causadas por pessoas.
95% das falhas de segurança cibernética nas organizações são causadas por pessoas



Comments


bottom of page