top of page
  • Foto do escritorAline Silva | PhishX

O que é uma falha de segurança e como evitá-la?

Atualizado: 7 de fev.

As falhas de segurança são um problema no mundo todo e vêm se tornando cada vez mais comuns entre as organizações. Essas ameaças comprometem as atividades das empresas, geram insatisfação entre os clientes e promovem a perda de dados.


Por isso, é essencial que as instituições saibam reconhecer essas falhas para que seja possível impedir problemas e adotar estratégias que ajudem a mitigar os riscos.


Afinal, os cibercriminosos estão evoluindo de maneira constante. Dessa forma, cabe às empresas investir em melhorias e contra-atacar esses golpes. Saiba que somente com ações pontuais é possível reduzir essas ações.


Quer saber como reconhecer essas falhas e, acima de tudo, como é possível evitá-las? Continue lendo esse texto e saiba como proteger sua empresa, colaboradores e reputação no mercado.


Por que é importante compreender as falhas de segurança?


Definimos como uma falha ou violação na segurança qualquer incidente que resulte em acesso não autorizado a dados, redes, dispositivos e aplicativos.


Ou seja, quando acontece alguma invasão no sistema e uma pessoa mal intencionada tem acesso a informações confidenciais por meio de alguma brecha nos mecanismos de segurança.


Saiba que existem algumas diferenças entre violação de segurança e violação de dados. A violação de segurança acontece quando ocorre uma invasão no sistema, mesmo sem que o criminoso consiga roubar nenhuma informação.


Já a violação de dados é quando o cibercriminoso consegue invadir e roubar dados e informações importantes sobre a instituição, seus clientes e colaboradores.


É preciso entender que, assim como os dados são importantes para as instituições, são extremamente valiosos para os criminosos.


Afinal, com as informações em mãos, os cibercriminosos podem usar esses dados para aplicar golpes, prejudicar as pessoas ou até mesmo usar o nome da empresa para praticar crimes.


Sendo assim, quando acontece algum vazamento de dados em uma instituição a sua reputação fica abalada, pois os clientes perdem a confiança e ficam com medo que seus dados sejam usados indevidamente.


Existem inúmeras falhas de segurança, são elas:


  • Infecção por malware;

  • Ataque de phishing;

  • Senhas fracas;

  • Ataque de DDOS.


Grande parte dessas violações são geradas por falhas humanas, colaboradores que não sabem os riscos de um ataque e que acabam abrindo brechas nos sistemas.


Por isso, quando falamos de falhas na segurança, é preciso entender que ações voltadas para a cibersegurança são responsáveis por diminuir esses riscos.


Como surge uma vulnerabilidade?


Agora que você já entendeu um pouco melhor sobre o que é uma falha na segurança, vamos te explicar como elas surgem.


Podemos dizer que as vulnerabilidades surgem por alguns fatores, o principal deles é a falta de treinamento entre as pessoas que trabalham na organização ou pelo uso de soluções de forma inadequada.


Ou seja, quando as pessoas deixam dados ou arquivos expostos, quando utilizam senhas fracas, não atualizam os sistemas ou acessam informações sigilosas por meio de redes desconhecidas.


Tipos de falhas de segurança


Como mencionamos, existem alguns tipos de falhas de segurança, todos eles colocam em risco as organizações e pessoas, veja a seguir quais são eles.


Exploit


Esse tipo de ataque acontece em sistemas desatualizados. Dessa forma, ele ataca a vulnerabilidade do sistema. Por isso, é tão importante manter os sistemas atualizados para evitar que ações como essas aconteçam.


Senhas fracas


O uso de senhas fracas ou inseguras, como nomes de pessoas, datas de aniversário ou palavras óbvias, coloca em risco a segurança dos sistemas. Isso porque essas senhas podem ser descobertas e acessadas por hackers.


Downloads de arquivos maliciosos


Esses downloads ocorrem sem que nem ao mesmo você perceba, isso porque quando você clica em algum site falso, pode baixar algum vírus, malware ou spyware.


Ataque de phishing


Esses ataques costumam vir por e-mails e são usados como porta de entrada dos cibercriminosos. Dessa forma, basta que uma pessoa clique em uma dessas mensagens para que os softwares maliciosos se espalhem por toda rede.


Engenharia social


Esse golpe acontece quando algum criminoso entra em contato com um colaborador e se passa por algum representante, e com isso, solicita informações confidenciais como senhas e acessos.


Como se proteger?


Como vimos, as falhas de segurança estão presentes em todos os lugares e as pessoas estão propícias a cair nesses golpes, por isso é importante que organizações saibam se proteger dessas falhas.


Em primeiro lugar, é preciso entender que as vulnerabilidades são criadas por pessoas mal informadas, ou seja, um colaborador que desconhece sobre cibersegurança pode clicar em algum link malicioso ou até mesmo passar informações confidenciais por telefone.


Por isso, uma boa gestão de riscos passa pela conscientização e educação em segurança da informação; dessa forma, é preciso integrar ações de treinamentos com tecnologia.


Com isso, as equipes de TI são capazes de monitorar a maturidade da equipe, criar relatórios e ações que ajudem a mitigar os riscos.


É importante que as organizações aproximem as pessoas da cibersegurança; elas precisam entender o problema para que saibam lidar caso aconteça algo.


Para que isso ocorra, tanto a organização como os profissionais de Tecnologia da Informação precisam enxergar as pessoas como uma linha de defesa desses ataques.


Entenda, as vulnerabilidades são direcionadas para elas, dessa forma, são elas que precisam saber como proteger a empresa. Essa mudança de pensamento ajuda a mitigar os riscos e faz com que todos trabalhem em conjunto e saibam qual o seu papel quando o assunto é cibersegurança.



Como a PhishX pode ajudar a evitar falhas?


As falhas de segurança estão presentes no dia a dia de todas as organizações, como vimos, somente a conscientização aliada a tecnologias é capaz de diminuir esses riscos.


A PhishX é um ecossistema de segurança, privacidade, governança, comunicação e conformidade para pessoas que simplifica a mitigação do risco relacionado ao fator humano.


Por meio do nosso sistema, as organizações são capazes de criar uma cultura de segurança efetiva.


Isso porque contamos com a criação e execução de campanhas de phishing. Dessa maneira, você consegue preparar os seus colaboradores para que eles saibam reconhecer e-mails e mensagens suspeitas.


Também realizamos disparo de comunicados, o que torna a comunicação sobre cibersegurança mais efetiva. Com isso, você consegue engajar todas as pessoas e fazer com que elas tenham contato com os temas de segurança da informação.


Além disso, realizamos teste de simulação de ataques. Essas ações auxiliam a equipe de Tecnologia da Informação a medir o nível de maturidade de cada equipe e saber quais processos devem ser criados para mitigar os riscos.


Contamos com uma plataforma repleta de conteúdos como cartilhas, vídeos e alguns recursos de Inteligência Artificial voltados para o treinamento em cibersegurança.


Nossos materiais são atualizados e lidam com as ameaças de uma forma leve e prática, tornando todo o processo de aprendizagem eficaz.


Isso faz com que as pessoas entendam os conteúdos e não se tornem algo maçante, que muitas vezes causa desinteresse.


Saiba que a nossa plataforma também permite metrificar as informações. Assim, é possível saber quantas pessoas caíram nos simulados de ataque e quantas delas terminaram o treinamento.


Esse panorama permite que as equipes saibam exatamente quais são os riscos e como é possível se proteger deles.


É preciso entender que a sensação de segurança no meio corporativo é muito difícil de ser alcançada, mas com algumas ações de segurança é possível proteger seus ativos e reputação da empresa.




Programador de software asiático com problema de hackeamento de sistema com violação de segurança.
As falhas de segurança podem colocar sua empresa em risco.



31 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page