top of page
  • Foto do escritorAudrey Fontelas

Deepfake: Quais são os riscos do uso dessa tecnologia para as pessoas?

A tecnologia está em constante inovação e cada vez mais inserida no cotidiano das pessoas. Hoje, é possível editar imagens para aumentar a boca ou afinar o nariz. Mas, a técnica do Deepfake vai muito além da estética.


Deepfake é a utilização da inteligência artificial para trocar rostos, sincronizar movimentos dos lábios, expressões e detalhes das pessoas em vídeos e fotos. Podendo obter resultados impressionantes e convincentes.


Porém, muitas vezes as pessoas não sabem que aquele conteúdo audiovisual utilizou a técnica do Deepfake.


Segundo estudos realizados pela Kaspersky, 65% das pessoas não sabem da existência do Deepfake e 71% não reconhecem quando um vídeo ou foto foi manipulado utilizando a tecnologia.


Dessa maneira, as pessoas podem ser facilmente enganadas no mundo digital.


O uso dessa tecnologia pode gerar desinformação na sociedade e o alto compartilhamento de notícias falsas. Assim, prejudicando a reputação de pessoas e organizações.


Além disso, os criminosos aproveitam a falta de informação e conscientização das pessoas sobre o Deepfake para aplicar golpes e fraudes, como ataques de phishing.


Entretanto, existem maneiras para identificar e se proteger da utilização errada dessa tecnologia. Continue conosco e descubra como fazer isso.


Quais são os possíveis riscos na utilização do Deepfake?


Por conta da globalização, as notícias são compartilhadas em tempo real. Dessa maneira, uma notícia falsa pode se espalhar rapidamente e se tornar uma notícia verdadeira.

Na Venezuela, pessoas estão criando avatares de jornalistas com ajuda do Deepfake para compartilhar informações sobre a economia do país.


Por conta do mau uso da tecnologia, pessoas estão acreditando no que está sendo noticiado por falsos jornalistas e gerando um grande risco a sociedade venezuelana e internacional.



Resultando na identificação de postagem relacionadas ao temas e alguns conteúdos não serão mais permitidos na plataforma, por exemplo, postagens que mostram cenas geradas artificialmente sem nomear que tratam-se de criações de IA, inteligência artificial.


Os criminosos estão utilizando a técnica para aplicar golpes nas pessoas. Dessa forma, modernizaram o ataque de phishing para manipular vídeos e as vozes das pessoas para pedir dinheiro aos familiares e amigos da vítima.


Por consequência, as redes sociais acabam virando uma aliada dos cibercriminosos, já que muitos dos ataques de phishing começam através delas e assim resultando em um ataque bem-sucedido.


No entanto, existem alguns tipos de fraudes que essa tecnologia pode ser utilizada.

Os tipos de fraudes que envolvem o Deepfake



O Áudio Deepfake é quando as vozes das pessoas são clonadas. A inteligência artificial precisa de gravações das vozes para produzirem o som e assim conseguir se passar pela pessoa que teve sua voz replicada.


Existem aplicativos que possibilitam colocar essa técnica em ação. Porém, nas mãos de pessoas mal-internadas podem acabar prejudicando as pessoas.


Outro tipo de fraude é quando utilizam o Deepfake em tempo real. Existe um software de inteligência artificial que pode converter suas características no rosto de outra pessoa enquanto estiver em videoconferência ou nas plataformas de streaming.


Por último, existe Vídeo Deepfake que pode ser considerado a principal técnica utilizada por criminosos.


A inteligência artificial manipula imagens e vídeos para distorcer a verdade. Resultando em golpes, reputações manchadas e desinformação para a comunidade.


Pensando nesses tipos de fraudes, podemos mencionar alguns casos que marcaram o noticiário nacional e internacional por conta dessa tecnologia.


Quais são os casos envolvendo a inteligência artificial?


Podemos mencionar alguns casos que ficaram conhecidos por utilizar o Deepfake, recentemente o enredo de uma novela no Brasil mencionou os prejuízos que a técnica pode causar na vida das pessoas, por exemplo, manchando a reputação da pessoa diante a sociedade.


Outro caso foi quando produtores criaram um vídeo com o ex-presidente dos EUA, Estados Unidos, utilizando o Deepfake com o intuito de alertar as pessoas sobre o aumento na criação e divulgação de vídeos contendo notícias falsas no universo digital.


Mas, muitas pessoas acreditaram na veracidade do conteúdo produzido pelos produtores e acabaram compartilhando em suas contas eletrônicas, mesmo se tratando de um alerta.


Ambos os casos mencionados tiveram a intenção de informar, ajudar e conscientizar as pessoas sobre os riscos que o uso do Deepfake pode causar na vida das pessoas e organizações.


Por isso, as pessoas precisam conhecer mais sobre a tecnologia do Deepfake para saber como se proteger e evitar a divulgação de notícias falsas ou cair em algum golpe cibernético.


Como se proteger do uso da tecnologia do Deepfake?


Existem maneiras para se proteger, mas antes de colocar as medidas de segurança em prática é fundamental as pessoas terem consciência sobre o que é Deepfake e seus riscos.


Dessa forma, vão poder colocar em ação as práticas de segurança de maneira mais efetiva e bem-sucedida.


A conscientização com treinamentos que envolvem as armadilhas do mundo digital, ataques cibernéticos e como se proteger deles pode ser um dos caminhos efetivos para a proteção das pessoas.


Já que os criminosos utilizam essa tecnologia para aplicar ataques de phishing.


Além da conscientização é necessário ferramentas ou aplicativos que consigam identificar conteúdos que contém a manipulação da inteligência artificial. Assim, auxiliando a combater a difamação, desinformação garantir a segurança das pessoas


Outra dica de segurança é a checagem de informação antes do compartilhamento nas redes sociais. Portanto, antes de divulgar, verifique a notícia em outros veículos de comunicação confiáveis e saia da sua bolha.


Como o ecossistema PhishX pode ajudar no combate ao Deepfake?


Agora que você sabe que a tecnologia do Deepfake pode causar desinformação e ser utilizada para aplicar ataques de phishing. Por que não garantir a segurança da sua organização?


O ecossistema PhishX é uma ferramenta que possibilita à organização dar os primeiros passos para elevar a conscientização e a maturidade das pessoas sobre as ameaças cibernéticas e como se proteger delas.


Mas, você sabe como criar um programa de conscientização dentro da organização?


Baixe agora o material de como criar um programa de conscientização. Esse pode ser o primeiro passo para aumentar a segurança, te auxiliando no processo e na implementação da conscientização dentro da sua organização.




No fundo da imagem temos o rosto de uma mulher com pontos de ligação. Na frente da imagem temos a legenda “Deepfake: Quais são os riscos do uso dessa tecnologia para as pessoas?”
Deepfake: Quais são os riscos do uso dessa tecnologia para as pessoas?



Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page