top of page
  • Foto do escritorRafael Iamonti

Como a gamificação pode te ajudar a conscientizar pessoas

Atualizado: 24 de nov. de 2022

Criar uma cultura de cibersegurança envolve educar as pessoas. Quase todos os ativos de informação de uma organização passam pelas mãos de pessoas.

Portanto, o risco de que essas pessoas contribuam para um incidente relacionado a segurança da informação precisa ser reduzido. Sem que as pessoas sejam educadas, não é possível criar uma estratégia de segurança eficiente.


A criação de uma cultura corporativa forte em toda a organização deve incentivar constantemente os funcionários a ficarem sempre em dia com as questões de segurança.


Para muitas organizações, a segurança da informação ainda não é uma prioridade. Conforme o cenário de ameaças se torna mais complexo, as organizações podem se beneficiar ao garantir que as pessoas tenham algum grau de consciência das ameaças.


Dessa forma, um programa de conscientização bem elaborado pode gerar grandes benefícios e promover uma cultura saudável de segurança cibernética.


Gamificação orientada a dados


Dentro de muitas organizações, as pessoas podem acessar quase diariamente dados considerados importantes. Sejam informações sobre clientes, ou até mesmo a propriedade intelectual da organização. Atualmente, ficou muito mais fácil acessar informações sensíveis.

Por isso, é muito importante promover uma cultura de conscientização sobre a segurança cibernética. Lutar contra os crimes virtuais significa permanecer alerta e isso deve ser uma preocupação de todos. Dessa forma, as pessoas desempenham papel importante nesse combate.

Um dos principais diferenciais de organizações que têm alcançado sucesso em implementar uma cultura de segurança é a existência de um plano para manter as pessoas engajadas. Desde o compromisso da liderança com a execução da estratégia definida, até a existência de um plano coeso para lidar com ataques inesperados. Tudo isso passa pela cultura de cibersegurança.

Como implementar e validar uma cultura de cibersegurança dentro da sua organização

Por meio da gamificação, uma organização pode estabelecer uma nova linguagem para proteção de dados, que encoraje o diálogo entre os colaboradores sobre como lidar com informações sensíveis. Ao invés de uma abordagem chata ou imposta, as pessoas podem falar sobre seus resultados, desafios e aprendizados dentro da estrutura do jogo.

Através do modelo de gamificação, é possível criar um método para despertar a atenção de quem não demonstra interesse pelos temas da segurança da informação. Por exemplo, se quem não cumpre uma das etapas do jogo, deve participar de um treinamento sobre segurança.

Por esse motivo, oferecer algum tipo de recompensa para as pessoas que seguem as regras pode encorajar a equipe a seguir as boas práticas. Assim, você pode instituir pequenos incentivos para as pessoas mais engajadas dentro da cultura de segurança.

Uma vez que essa pessoa teve seu comportamento reconhecido, é preciso incentivar o bom comportamento de forma contínua, a partir do estabelecimento de outros marcos.

Incentive as vitórias através da gamificação

Os treinamentos de segurança mais efetivos são aqueles que acontecem de forma constante ao longo dos meses. Contudo, a maioria das empresas não consegue criar esses ciclos devido a falta de tempo ou de recursos. Usar uma estrutura de jogos permite reduzir a lacuna de conhecimento da base de funcionários e mudar o comportamento a longo prazo.

Os times devem ser encorajados a demonstrarem os reconhecimentos que recebem toda vez que atingem um dos objetivos estabelecidos. Tornar essas vitórias visíveis no ambiente de trabalho ajudará a trazer outros colaboradores para dentro do jogo. A visibilidade permitirá, ainda, a troca de conhecimento entre colaboradores.

Nem todo mundo se interessa pelo assunto da cibersegurança. Por isso, algumas companhias lançam desafios para tentar encontrar talentos, já nos primeiros estágios da competição, para que ajudem a conduzir a prática.

A gamificação só se torna efetiva quando as pessoas aprenderem as lições em cenários do mundo real. Por essa razão, é essencial estabelecer métricas sobre a efetividade do processo de forma a reduzir os riscos reais. Conduzir auditorias regulares na estrutura dos jogos permite determinar os riscos que a organização ainda corre caso algum problema real ocorra.

Treine as pessoas


A Covid-19 trouxe novas prioridades para o nosso cotidiano. Uma grande questão é como podemos garantir a eficácia do trabalho remoto, sem tornar a vida das pessoas ainda mais complicada. Isso exige, entre outros fatores, mudanças nas tecnologias e nos processos.

Porém, é importante observar que, mesmo com ferramentas que podem proteger os usuários, as pessoas ainda assim devem exercitar o bom senso para lidar com as ameaças cotidianas.

Além disso, o estresse adicional que a situação pandêmica mundial tem proporcionado, nos torna mais propensos a prestar menos atenção. Dessa forma, podemos cometer mais erros que não cometemos em situações normais.

Por outro lado, algumas pessoas podem achar que seu comportamento não é controlado como no escritório. Assim, acabam se expondo mais às ameaças.

Por isso, é muito importante que as organizações invistam em uma barreira de proteção que conte com as pessoas. Dessa forma, é preciso ajudar as pessoas a exercer suas funções com a mesma eficiência.

Tenha uma comunicação aberta

Também é muito importante garantir que os esforços de conscientização sejam ouvidos por todos. Para fazer isso, comunicar abertamente as ameaças que a organização enfrenta pode ser uma forma de engajar as pessoas.

Embora o cenário de cada organização seja diferente, existem muitos fatores comuns. Por exemplo, não há dúvida de que todos precisamos nos preocupar com ataques de phishing ou links maliciosos que chegam através das redes sociais.

Da mesma forma, ransomware e malwares também se tornaram comuns. Assim, é muito importante discutir essas ameaças regularmente, seja através de comunicados, treinamentos ou simulações.

Reconheça a segurança cibernética como investimento

Uma defesa bem-sucedida contra ataques cibernéticos exige um esforço coordenado em todos os níveis de uma organização. A segurança também pode ser reforçada através de um maior reconhecimento, por parte dos conselhos administrativos, de que a cibersegurança é um verdadeiro facilitador dos negócios.

É preciso reconhecer que a segurança cibernética é um investimento, e não somente um gasto. Ferramentas e estratégias de proteção, treinamentos constantes, simulações e distribuição de políticas, tudo isso envolve a cibersegurança de uma organização.


A PhishX traz algumas das melhores maneiras de envolver seus funcionários em suas estratégias de segurança cibernética. Através da nossa plataforma, você pode utilizar a gamificação para engajar ainda mais as pessoas. Consulte nosso time de vendas.



105 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page